13 de março de 2021

Haatchi & Little B, de Wendy Holden


Olá maltinha,

Hoje trago-vos um livro que foge radicalmente ao meu estilo/gosto de leitura.

Um livro que conta uma história verídica sobre um menino (Owen) e o seu cão (Haatchi), um Pastor-da-Anatólia. Ambos têm um problema físico, enquanto Owen tem hipertrofia muscular, Haatchi foi atropelado por um comboio e daí resultou a amputação de uma das patas traseiras e de grande parte da cauda.

A história começa com o abandono do Haatchi pelo seu antigo dono e com o nascimento de Owen. Daí em diante descreve tudo por que Haatchi, Owen e a sua família passaram até se encontrarem. 
Mesmo depois de Haatchi se juntar à família de Owen, ainda existiram alguns problemas, mas também começaram a acontecer muitas coisas boas.

Uma história inspiradora que nos mostra que, mesmo quando as hipóteses de sucesso são ínfimas, se lutarmos contra todos os obstáculos, as probabilidades de vencer aumentam visivelmente.

Fiquei apaixonada por esta dupla de amigos!

Sabiam que os podem seguir no Facebook? Podem encontrar a referência a essa página no livro.

Despeço-me de vocês com um pensamento mais profundo do que o habitual: 

Que todas as crianças neste mundo tenham o apoio e a dedicação de uma família como a do Owen e que todos os animais encontrem uma família como a que acolheu o Haatchi.

Beijos

2 de janeiro de 2021

2020, Mas que Ano!

 

Olá maltinha que gosta de ler os devaneios que eu adoro escrever,

Não há nada melhor do que um balanço para descobrir se o ano que passou foi bom, mau ou assim-assim. O meu foi bom, com momentos assim-assim.

2020 foi um ao atípico e que ficará na memória de todos nós por vários motivos, mas também ficará por um motivo comum a todos nós. Ainda não podemos colocar um ponto final sobre a Covid-19, no entanto acho que já podemos respirar de alívio. Mas não foi esse assunto que me trouxe cá.

Como puderam verificar, este ano foi muito fraco no que toca às opiniões que eu gostaria de partilhar convosco e, embora isso tenha justificação, não é uma desculpa desculpável.

Embora não tenha corrido muito bem neste campo, no que toca à leitura, li muito mais. E vocês perguntam: “Muito mais? Uns 100 livros?” e eu repondo: “Longe disso! Eu gosto de ler, mas não consigo aspirar livros como quem aspira o pó.”

Fiquei-me pela módica quantia de 27 livros. O importante daqui não é a quantidade, mas a qualidade e, quanto a isso, devo dizer que comecei mal e terminei não muito melhor. No entanto o que li pelo meio deixou-me de coração cheio.

Comecei o ano com o livro Prometo Falhar e devo dizer que o título do livro é apropriado para o que o autor realizou: ele prometeu e falhou. Terminei o ano com o livro Nada Menos que Tudo e, embora o tenha lido até ao final (proeza essa que não consegui concretizar com o primeiro), percebi que os livros de textos não foram feitos para mim.

Para além destes dois, apenas mais um foi conotado por mim com menos de 3 estrelas.

Em relação aos outros 24 livros: 4 obtiveram 3 estrelas, 11 obtiveram 4 estrelas e 9 reuniram as 5 estrelas. Como todos sabemos, isto das estrelas é um pouco relativo e que depende de indivíduo para indivíduo. Com isto quero apenas reforçar que embora tenha sido um ano de caca, em termos de leitura safei-me muito bem.

Nesta foto podem ver um dos locais onde passei mais tempo no ano passado e todos os livros que li em formato físico (excluindo os que me foram emprestados). Como quero partilhar convosco a lista completa das minhas leituras, deixo em seguida os que não se encontram na fotografia. São eles:

- Prometo Falhar – Pedro Chagas Freitas

- A Ferver e Em Chamas – Jennifer Blackwood

- Segredos Obscuros e O Discípulo – Hans Rosenfeldt e Michael Hjorth

- Sangue na Neve – Jo Nesbo

- Haatchi e Little B – Wendy Holden

- O Terceiro Desejo e A Espada do Destino – Andrzej Sapkowski

- A Vidente – Lars Kepler

- Nos Braços do Vagabundo – Letícia Brito

- O Fantasma dos Caterville e Outros Contos – Óscar Wilde

- Menina Boa, Menina Má – Ali Land

- Algo Maravilhoso – Judith McNaught

No final de 2019 também dediquei um top 3 a autores que nunca tinha lido, mas que me surpreenderam pela positiva. Os do ano de 2020 são: Ali Land, Letícia Brito e Peter Swanson.

 

E vocês? Como foi o vosso incontornável 2020?

Contem-me tudo nos comentários =)

 

P.S. No ano passado desejei-vos um excelente 2020 e deu no que deu… Assim sendo desejo-vos apenas que vivam 2021 da melhor forma possível e que daqui a um ano nos encontremos todos aqui novamente.

Beijos 

15 de setembro de 2020

Harry Potter e a Pedra Filosofal, de J. K. Rowling

Este foi o primeiro livro que eu li na minha pré adolescência "com muitas páginas" e foi "O Livro". 


O livro que me empurrou para esta espiral que é a leitura, aquele livro que li umas 20 vezes, que ainda este ano li e que é com muito carinho que recordo cada paragrafo desta história.
Olhando para trás, vai fazer 19 anos que o meu padrinho mo ofereceu no meu aniversário e daí em diante o Harry Potter tornou-se no meu herói e amigo. Crescer com ele e com os seus amigos foi uma experiência fantástica e devo dizer que muitos dos seus dramas foram os meus dramas, embora eu me identifique mais com o seu querido amigo Ron.

Mas chega destas lamechices e nostalgias.

Esta é uma saga de sete livros, que nos contam a história de um rapaz que, não só sobreviveu, como destruiu um dos maiores feiticeiros do mal. 

Neste primeiro livro descobrimos que Harry, vive com os seus tios, pois os pais morreram quando ele era apenas um bebé. Pouco antes de Harry completar o seu décimo primeiro aniversário este recebe uma carta de Hogwarts, uma escola de magia e feitiçaria, para a qual é convidado a ingressar e estudar para se formar enquanto feiticeiro.

O problema reside no facto de Harry não saber que é um feiticeiro, pois os tios abominam todos os bruxos e feiticeiros e quando acolheram Harry em sua casa juraram nunca lhe contar nada sobre este assunto.
De contra vontade a dos tios, Harry vai para Hogwarts e é aqui que começa a história e toda a magia envolvente.

Mas Harry não é o único a ir para Hogwarts, algo ou alguém se esconde à vista de todos e está apenas à espera do momento oportuno para roubar um bem precioso que, caindo nas mãos erradas, pode ter um final irremediável para o mundo mágico...

Venham descobrir um mundo paralelo ao nosso, onde tudo aquilo que imaginámos pode ser real.

Caso já o tenham descoberto, contem-me o que vos fascina mais nesse mundo e se gostariam de receber a vossa carta para a Escola de Magia e Feitiçaria de Hogwarts.

Boas Leituras

7 de setembro de 2020

Nos Braços do Vagabundo de Letícia Brito

Olá Maravilhosos Leitores =)

O livro que vos trago desta vez é um livro do qual não teria conhecimento se não entrasse em contacto com a autora, no período de quarentena, no qual esta mo facultou gratuitamente.

A autora, Letícia Brito tem 23 anos, é natural de Paços de Ferreira e formada em fotografia. Segundo a autora, escreveu este livro quando tinha 18 anos, mas apesar da sua tenra idade, elaborou um livro fantástico.

É uma história essencialmente triste, intensa e bastante real.

Retrata a história de Sofia, uma rapariga que perdeu o seu verdadeiro amor, mas onde a personagem nos mostra que "a esperança é a última a morrer". Embora a sua esperança a tenha levado a um estado muito avançado da sua doença: depressão.

A autora conseguiu descrever muito bem todo o sofrimento da personagem e isso faz com que nós, leitores, sintamos o mesmo que a Sofia sentia. Não são todos os autores que conseguem transferir as emoções da sua personagem para os leitores.

Para além de tudo isto, este é um livro de leitura compulsiva, uma vez iniciado entramos no enredo e só voltamos a sair quando chegamos à última página. 
Chamemos-lhe ansiedade de querer saber se ficou tudo bem com a Sofia, a realidade é que ao logo do livro imaginei vários finais possíveis, mas não imaginei o fim que a autora lhe deu. 

Como todos nós sabemos, esta é uma das coisas que os autores mais gostam... um final inesperado.

Mais alguém conhecia esta autora e o seu trabalho?
Se sim, digam-me o que acharam deste livro...
Se não, sugiro-vos que leiam este livro... É muito bom!

P.S. Atenção aos leitores mais sensíveis, e de fácil lacrimejar, devem acompanhar a leitura com um pacotinho de lenços.

Boas Leituras =)

7 de julho de 2020

O Terceiro Desejo de Andrzej Sapkowki

 Olá Leitores

Há muito tempo que não vos trazia um livro, mas hoje trago-vos o primeiro livro da saga The Witcher.

Sobre o autor posso dizer-vos que nasceu na Polónia em 1948. Formou-se em economia e começou a sua carreira na escrita como tradutor. É casado e tem um filho.

Quanto a esta saga, só a conheci depois de assistir à primeira temporada da série televisiva “The Witcher”. Inicialmente, quando comecei a ler este livro, fiquei um pouco confusa e desiludida, pois parecia conter várias histórias distintas e que não tinha um fio condutor. Mas antes de desistir da leitura, decidi procurar mais informações sobre o livro, a coleção e o autor. Foi quando descobri que, tanto este livro como o seguinte “A Espada do Destino”, são livros de contos e que a coleção de romances apenas começa com o título “O Sangue dos Elfos”  e que termina com “A Senhora do Lago”, que em Portugal vai ser dividido em duas partes e que vai ser editado a 10 de julho deste ano, pela editora Saída de Emergência.

É um livro constituído por 6 contos que contam episódios da vida do Bruxo Geralt de Rivia. Episódios esses em que ele teve de enfrentar vários monstros e que (pelo menos até agora) saiu vitorioso.

Ser bruxo, basicamente, é matar monstros que ameaçam a vida dos humanos em troco de dinheiro ou outro tipo de pagamento. O Bruxo conta-nos que por vezes a sua profissão é confundida com a de um assassino contratado, mas que existe uma grande diferença: o código dos bruxos. Isso guia-os de forma a saberem quem devem matar por ser uma ameaça e não matar por ser um capricho de outra pessoa.

É uma leitura agradável e acessível. Neste momento estou a terminar o segundo volume e quero começar o mais depressa possível o terceiro, pois é aí que começa a história de Geralt de Rivia.

Aproveito para deixar aqui uma curiosidade, que eu só descobri depois de começar a ler e de aprofundar o meu conhecimento acerca do autor e da sua bibliografia: os livros de que vos estou a falar foram traduzidos para Português há relativamente poucos anos, mas já foram escritos, na sua maioria, nos anos noventa e já foram traduzidos em mais de vinte línguas.

Sabiam?

Já leram esta saga? Qual é a vossa opinião?

Contem-me tudo e até ao próximo Pensamentos que Geram Gatafunhos =)



6 de maio de 2020

Uns meses mais tarde... Mais um Gatafunho

Boas Pessoal =)

Provavelmente devem estar a perguntar-se por onde andei...ou não, mas isso também não interessa muito. Não quero que me magoem os sentimentos. 😜 

Resumindo a minha ausência... Tempos conturbados, falta de tempo e de inspiração.



Mas hoje trago-vos uma das coisas que me trouxe muito ânimo.
No mês passado, mais precisamente entre dia 16 e 30 de Abril ocorreu uma coisa estupenda: A Derradeira Competição de Leitura, criada pela #Manganet e pela #Filipab0oks.
Uma competição entre duas equipas, onde existiram desafios diários a cumprir e muitas mais atividades a concretizar de forma a ganharmos pontos extra e a socializar neste momento de quarentena. O objetivo era simples: ler o máximo de páginas possíveis (e imaginárias) e superar a equipa adversária. 

Que eu gosto de ler não é novidade, que leio com regularidade é certo, mas ao lado desta malta... Pessoal isto é alta competição. Mesmo assim consegui ultrapassar-me a mim mesma e, ao dar o meu máximo, cheguei aos quatro dígitos. 

Embora a quarentena, eu pertenço àquela classe de trabalhadores que diariamente se apresentou no local de trabalho por isso o sonho de vários dias no sofá a ler afincadamente não se concretizou. 
De todas as formas esta ideia foi espetacular e se fosse produzida novamente, novamente eu estaria presente.

Portanto, nestes 15 dias eu consegui ler 6 livros aos mesmo tempo, terminando 3 deles. São eles:
1º Reaccionário com dois cês, de Ricardo Araújo Pereira
2º Bruxa e Detetive, de Kim Harrison
3º O Discípulo, de Hans Rosenfeldt e Michael Hjorth
4º Em Chamas, de Jennifer Blackwood
5º Harry Potter e a Pedra Filosofal, de J. K. Rowling
6º O Fantasma dos Caterville e outros contos, de Oscar Wilde

Dos três que terminei, dei 5 ⭐  ao "O Discípulo" e 4 ⭐ tanto ao "Em Chamas" como ao "Harry Potter e a Pedra Filosofal" (este foi uma releitura, da releitura, que foi uma releit... enfim)

Em breve espero conseguir deixar aqui as minhas opiniões mais pormenorizadas sobre todos eles, incluindo todos os que li anteriormente a estes, mas que ainda não tive oportunidade de os desenvolver.


E quanto às vossas leituras?
Será que a quarentena vos despertou para a leitura?

8 de fevereiro de 2020

O Tatuador de Auschwitz de Heather Morris

Boas pessoal!

Hoje trago-vos o primeiro livro que li sobre o holocausto. Apenas o li porque mo emprestaram, mas não estou nada arrependida, aliás... estou ansiosa por ler a sequela: "A Coragem de Cilka".
Esta é a história verídica de várias pessoas que foram levadas para campos de concentração, que foram exploradas, abusadas e discriminadas, passaram frio, fome e trabalharam até à exaustão e/ou até à morte.
Esta história é-nos contada pelo Lale, personagem principal, que também ele foi levado para este campo de concentração. Lá começou por trabalhar na construção de abrigos até que, por força das circunstâncias, se transformou em aprendiz de tatuador e mais tarde tatuador chefe.
Esta história conta a vida de um prisioneiro em condições que nenhum ser vivo deveria conhecer, mas também o valor e a importância, tanto do amor como da esperança.
Na altura mais difícil da sua vida, Lale descobre a sua verdadeira força para aguentar e superar o cativeiro.
Uma história que foi contada à autora, enquanto trabalhava num hospital em Melbourne, pelo próprio Lale Sokolov que viveu a triste realidade ocorrida no holocausto.
É sem sombra de dúvida, uma história marcante e sofrida.
A frase que Lale usou para iniciar a sua conversa com a autora foi:

"Tenho uma história que talvez valesse a pena contar."

Resumindo, tinha toda a razão.

Deixem-me as vossas opiniões se já o leram, ou se não leram se ficaram com "a pulga atrás da orelha"

Boas Leituras =)

Haatchi & Little B, de Wendy Holden

Olá maltinha, Hoje trago-vos um livro que foge radicalmente ao meu estilo/gosto de leitura. Um livro que conta uma história verídica sobre u...